MARKETPLACE É OPÇÃO BARATA PARA INICIANTES

MARKETPLACE É OPÇÃO BARATA PARA INICIANTES

Os marketplaces são plataformas eletrônicas prontas para vender seus produtos. Um exemplo mundialmente conhecido dessa nova forma de vender é a gigante Amazon, que tem uma grande variação de produtos próprios e terceirizados.

No Brasil – e em toda a América Latina – o maior exemplo de marketplace é o Mercado Livre que comercializa apenas produtos terceirizados, um verdadeiro shopping online, onde ela oferece todos os recursos web e você disponibiliza os itens que serão vendidos.

Há vários nichos de marketplaces. O Mercado Livre é um grande shopping em massa, que tem uma enorme diversificação de produtos e o público-alvo é gigantesco. Os nichos aparecem em sites como o Elo7 e Enjoei, que visam clientes mais direcionados, com gostos específicos para produtos de decoração e itens exclusivos, confeccionado por artesãos, por exemplo.

Como nada na vida é de graça, as empresas cobram uma taxa do vendedor para comercializar os produtos em seu site. Esse valor é negociado com cada marketplace, mas geralmente é uma porcentagem sobre os itens vendidos.

Duas grandes vantagens para entrar no mundo dos marketplaces são:

Baixo investimento: todo o sistema para você apresentar seus produtos ao mundo já está pronto. É necessário pagar um valor por isso, mas os custos são significativamente menores do que abrir uma loja física – ou e-commerce – e você paga de acordo com a quantidade vendida; mais produtos comercializados, mais taxas serão pagas à empresa.

Marketing: você não precisa investir em marketing para vender. Todas as empresas cadastradas no site têm a mesma oportunidade de aparecer – desde as micro até as multinacionais – e isso é muito simples de explicar: a busca do cliente traz como resultado todos os itens encontrados, proporcionando mais visibilidade.

Um dos exemplos que entrou no marketplace é a Moura Informática, uma software house paulista que vende soluções para gestão há 26 anos. De acordo com o diretor comercial Felipe Moura, investir em vários canais para vendas é vantajoso. “Oferecemos nossos produtos para competir com empresas de todos os portes. Isso fortalece a marca e leva credibilidade para o cliente, além de participarmos de uma rede de confiança na América Latina, que é o Mercado Livre”.

De acordo com uma pesquisa revelada pelo site E-bit, os marketplaces movimentam mais de 30% do comércio online. Em 2015, o e-commerce vendeu mais de R$ 40 bilhões em produtos, movimentando mais que muitos segmentos do varejo atualmente.

Para 2016, há uma expectativa de crescimento de 18% segundo a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), além de ser ótimo saber que, segundo o IBOPE (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatísticas), mais de 93% dos internautas afirmam ser mais cômodo comprar online.

 

Texto enviado por:

JEAN CAZELLOTTO
JORNALISTA – COMUNICACAO E MARKETING

15,326 total views, no views today

Varejo em crise, como o E-commerce está ajudando os empresarios.

Tenho acompanhado de perto essa grande crise instalada desde 2014, que, se intensificou bastante em 2016.

Muitos empresarios fecharam suas empresas e aguardam o desenrolar politico para abrir um novo negócio, muitos perderam tudo o que tinham e buscam uma nova oportunidade no mercado de trabalho.

O mais interessante é que diversos empresarios estão buscando no E-commerce uma chance de continuar seu negócio, com uma nova fonte de receita até a crise passar. Mesmo com a nova Lei do E-commerce que pune diversos empresarios em vender para outros estados, abrir um E-commerce hoje é uma otima alternativa para superar a CRISE, ou até mesmo lucar com ela. Fique de olho e pesquise, o E-commerce pode ser uma boa chance para chegar com tudo em 2017, sim 2017, pois 2016 precisamos rezar para acabar logo.

 

Abra seu e-commerce agora mesmo:

www.fly01.com.br

www.userede.com.br

21,251 total views, 10 views today

Tecnologia , inovação, tudo na mão do varejista

Nunca foi tão grande a oferta de produtos e serviços para o varejo nos últimos 2 anos. A tecnologia vem permitindo que o varejista cada vez mais conquiste novos consumidores.

Foi assim quando tivemos o BUM da internet, onde milhares de empresas surfaram nessa onda, e agora temos o BUM dos aplicativos para smartphones.

Diversos tipos de aplicativos estão tomando conta da vida das pessoas, desde vendas de produtos até comportamento do consumidor. Você já pensou nisso para seu negócio ? Se não, está na hora de procurar alguma empresa especializada para colocar sua empresa no rumo da tecnologia.

Como sempre digo nos meus posts, deixe a crise para a concorrência, pense, inove e faça diferente.

 

 

 

7,276 total views, no views today